no Extremo Oriente ...à descoberta de um novo mundo
Terça-feira, 23 de Janeiro de 2007
O Casamento
Então vamos lá a saber como é um casamento chinês. É verdade, ainda agora aqui chguei e já ando a ter experiências alucinantes da vida social chinesa. Acontece que a Cláudia recebeu o convite para ir ao casamento de um colega de trabalho, que por sua vez perguntou se poderia levar os seus dois colegas e parceiros de casa ocidentais. O rapaz foi muito simpático e disse que nós também podíamos ir.
 
Os casamentos na China começam cedo, lá pelas 10 da manhã. Sim que isto de dias inteiros a comer e beber como em Portugal não é para chineses...mas também já vão perceber porquê. Lá chegámos ao casamento que era num restaurante/hotel com muito bom ar pto da Praça de Tiananmen. Fomos recebidos pelo noivo, no 3º andar. Assinámos o livro de presenças, como se fossemos todos muito íntimos, e fomos encaminhados para a sala. Uma sala normal, decorada com balões e coisas matrimoniais, e indicaram-nos uma mesa onde estavam algumas pessoas que falavam inglês, coisa rara por estas bandas. Dentre estas pessoas, a chefe da Cláudia e a secretária e uns familiares (destes pelo menos 3 não falavam outra coisa que não chinês). Então chegou a noiva com o seu vestido branco e com a musiquinha dos casamentos. Depois aquilo parecei uma espécie de apresentação de um concurso porque havia uma pessoa, tal e qual um apresentador que fazia perguntas ao noivo e à noiva e todos se riam e batiam palmas, e nós sem perceber nada. Depois acedem umas velas, trocam umas bebidas com os sogros, fazem votos de amor eterno (devia ser isso que estavam a dizer) e começa o desfile de comida. Os pratos vão variando em cima da mesa que roda, como nos restaurantes chineses e toca de comer doces (rebuçados e chocolates) que é para desejar sorte e felicidade. A roupa é normal, ninguém ia melhor vestido do que o que se usa todos os dias. Se fossemos de vermelho tanto melhor que era para desejar sorte e felicidades.
 
Entretanto começa a farra da bebida. A toda a hora brindes e copos cheios. Ah  etoca de beber tudo de pernalty que isto de se beber aos poucos não está com nada. Primeiro vem o pai do noivo, depois o da noiva, depois o tio, o papagaio e o gato. Aquilo foi um tal de emborcar copos...eram 11 da manhã! Não se pode recusar porque é ofensa. Quando dei por mim já tinha bebido 4 copos de aguardente, ou lá o que aquilo era e já via as coisas a dobrar.... Depois foi um defile de familiares a cantar e a tocar em homenagem aos noivos e pronto, eu, a Cláudia e o António lá fomos cantar em homenagem aos noivos. Menina estás à janela do Vitorino pareceu-nos bem. Para eles era igual porque não percebiam nada mesmo, por isso, lá ficaram a olhar para nós como se fossemos uns Ets ali caídos de paraquedas. O pessoal comeu tudo o que havia para comer e depois toca de ir embora. Também fomos, depois de termos sido convidados para não quantas festas que aqueles chineses da nossa mesa iam organizar.
 
Já perceberam porque é que os casamentos não duram o dia todo, não já? É que era meio dia e já tava tudo bêbedo!!! A comida era chinesa e o Pato à Pequim estava delicioso.


disse anliang às 08:41
link do post | favorito

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



Quem sou eu?
Roteiro de Viagem

Até Breve...

2008

The very last countdown

Cores

Macau e Hong Kong finally

Confissões

Papéis

Compras e mais compras

Home alone, almost China ...

Entendimentos a Oriente g...

Countdown...

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Área da Cusquice
Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


blogs SAPO
subscrever feeds