no Extremo Oriente ...à descoberta de um novo mundo
Sábado, 15 de Setembro de 2007
Oitavo Mês
Hoje completam-se 8 meses.

sinto-me: Com dúvidas
música: Shania Twain - The Woman In Me

disse anliang às 19:46
link do post | Digam o que quiserem | favorito

Quinta-feira, 13 de Setembro de 2007
Amanhã já é Sexta
Pois é, amanhã já sexta, outra vez. Sinto os dias a passarem cada vez mais depressa, e ainda falta tanta coisa para fazer e ver nesta terra que não sei quando voltarei a encontrar. O Inverno está a chegar. Já se sente aquele friozinho quando anoitece e os dias são muito mais pequenos. Agora vou de bicicleta para o trabalho, ao fim de quase 8 meses decidi que seria uma boa altura para experimentar aquilo que já há muito deveria ter experimentado, o fresco da manhã, ou o calor (se pensarmos no bafo que por aqui esteve nos últimos 3 ou 4 meses) pelas 9 horas quando atravesso a 3ª circular. Mas no regresso a casa é agradável primeiro não ter que me cansar a andar, não ter que gastar dinheiro no táxi e demorar metade do tempo.

A estação do ano preferida pelos chineses é o Outono porque tem rasgos de céu azul, não venta e faz sol, no entanto é de curta passagem e as primeiras chuvas que caíram durante o dia de hoje são a premonição disso mesmo. Dada a minha permanência por mais 2 meses do que inicialmente estipulado, vou ter ocasião de saber muito bem como são todas as fases de tempo por estas bandas. A roupa acumula-se no armário, a que trouxe e que há muito me deixou de servir e a que por cá vou comprando na medida das necessidades, assim haja XL ou XXL que me sirvam. Esta coisa de mudar de país e de hábitos alimentares tem muito que se lhe diga, ai tem, tem...

Dei por terminadas as minhas aulas de chinês na escola Frontiers . A professora Mina ficou triste, mas que fazer, tinha que ser assim, senão vejamos: os módulos são de 44 horas, pelo que já lá vão 88, dentro das quais era suposto ter aprendido 2 livros correspondentes a 2 níveis de mandarim. Dei o primeiro livro e ia no inicio do segundo. Nesta altura em que aprendia coisas do segundo nível confesso que não sabia tudo do primeiro, pelo que, achei que não deveria continuar...foi o mais sensato. Ainda por cima avizinham-se dias e quiçá noites de trabalho até mais tarde, por isso, talvez tivesse que faltar a algumas aulas... continuo a praticar o meu chinês fabuloso nos táxis, nos mercados e quando mais for necessário, como por exemplo para dizer que o ar condicionado está estragado e que têm que cá vir arranjá-lo!!!! Enfim, é uma língua que gostaria de aprender mas acho que ainda não é desta...sei o essencial para sobreviver e ser menos endrominada, se um dia fizer falta saber mais logo se verá...

sinto-me: Days gone by
música: Qq coisa estranha no PC do António

disse anliang às 16:30
link do post | Digam o que quiserem | favorito

Segunda-feira, 10 de Setembro de 2007
Kilómetros e mais Kilómetros
Este fim de semana andei que me fartei, foram quilómetros e mais quilómetros nesta cidade que é pequena como se sabe e onde tudo fica ao pé de tudo!!!! Sábado mais pareceu um reavivar de vivências de infância: bicicleta na companhia dos "rapazes lá de casa". Quando era miúda isto costumava acontecer imensas vezes já que a companhia era normalmente masculina, assim maria-rapaz me chamavam.

Bicicleta até ao metro, metro até à Praça de Tiananmen e depois, foi andar, andar e mais andar até chegar finalmente à Mesquita da Rua da Vaca, lembram-se, há uns tempos falei nisso, que era umas das coisas que faltava ver  em Pequim. Pois, de mesquita só tinha a sala de oração, porque toda a envolvência era tipicamente chinesa, o que não é de admirar. Enfim, fica o mistério descoberto. Deixo algumas fotos, que por isso valeu a pena a caminhada.









Alguns pormenores....

Pelo meio desta "peregrinação" ainda houve tempo para descobrir o primeiro cinema na China, que passa actualmente os filmes da moda mas que tem lá as expostas as relíquias de antigamente em ambiente muito pitoresco. Ficam as fotos para que vejam como é.












    Cinema - Café   
             Loja de chás ao lado





Quando cheguei a casa estava estoirada. Banho quente e alguns momentos de descanso largada em cima da cama e a ouvir um pouco de música para descontrair. Jantar no Café Europa, churrasco, a convite do Ricardo, C7 que passava a sua última noite por terras de Mao , com regresso marcado à Alemanha na manhã seguinte. Sem grande paciência para grandes rambóias fomos até ao Kokomo beber um copo.

Domingo rendi-me à febre dos Jogos Olímpicos, quer dizer, só um bocadinho. Fui até ao Parque Olímpico ver o "ninho" e o pavilhão para as provas de natação. Interessante. não sou grande eufórica mas tenho que reconhecer que são obras de engenharia "muito à frente" e que tenho que dar os parabéns a quem concebeu tudo aquilo. Fotografias da praxe tiradas, tempo para um refresco no Boccata   e para mim, com uma dose de manicure, coisas de gaija " que também tenho direito. Mas o meu dia ainda não tinha terminado...surpresas ainda estavam para vir, para variar!










Fui ao supermercado do condomínio, e quando entro em casa, além de um bafo descomunal, que estranhei porque o ar condicionado tinha ficado ligado, não havia as simpáticas luzes de presença azuis dos interruptores de parede: não havia electricidade. Outra vez!!! Já gastámos mais dinheiro em electricidade nos últimos 3 meses que nos 6 antes. Fui ao management center , porque como sabem para comprar electricidade é o sistema do cartão que tem que se carregar, mas estava fechado. A máquina para o efeito estava lá...com tudo em caracteres, pensei: "está o baile armado"!

De cartão do Banco da China (do Nuno) na mão mais o cartão da electricidade vim até à entrada do prédio...alguém ia ter que me ajudar. Lá disse ao porteiro, no meu melhor chinês, que precisava comprar electricidade, que estava tudo em chinês e que eu não percebia nada daquilo. Bem, apareceu um outro chinês que se disponibilizou para me ajudar. Muito bem, lá fomos, mete cartão, tira cartão, ah e tal não dá, não pode carregar 100, tem que carregar 200, enfim, lá consegui, com sucesso, realizar a operação. Estas máquinas deviam ser como as do multibanco e ter inglês, afinal, aquele condomínio tem imensos estrangeiros...enfim, nem adianta reclamar.


sinto-me: "Escalfada"

disse anliang às 04:34
link do post | Digam o que quiserem | favorito

Sexta-feira, 7 de Setembro de 2007
A China em apuros
Bem, a China anda nas bocas do mundo, como aliás é normal, mas desta vez por razões menos boas. Segurança Alimentar, Segurança Infantil, Desmoronamentos de Terras e mineiros soterrados. Estas têm sido as manchetes das notícias nos últimos tempos.

Sobre a questão das minas já não sei quantas vezes ouvi e li sobre isto, mas parece que é recorrente. Ainda há uns dias lia a notícia de que resgatavam os últimos mineiros soterrados algures para hoje ler que já não há hipóteses de encontrar com vida cento e tal outros mineiros que ficaram numa província qualquer da China. As minas de carvão são das maiores explorações chinesas de energia, sobretudo porque a maioria das coisas se alimenta ainda desta fonte  e ao que sei, as condições de segurança e de trabalho são péssimas. Os riscos são imensos, logo, derrocadas são frequentes. Frequentes, aliás diárias são também as emissões para o ambiente de gases e afins destas mesmas explorações. O fumo que sai destas chaminés é completamente negro, o que contribui naturalmente para a camada de poluição que se regista e faz com que, o nível de toxicidade seja alto. Quando estiveram em Pequim os Delegados dos JO para fazer avaliações, o Governo fechou as minas uns tempos antes para fazer parecer que o ar estava mais limpo do que na realidade estava, depois voltaram a abri-las, mas sem, penso eu, tomarem medidas para minimização dos valores de CO2 .

Outra questão que está na ordem do dia é a questão da segurança alimentar. Os alimentos produzidos e vendidos pela China têm altos teores de químicos e coisas que fazem mal à saúde. Muita gente para alimentar dá nisto. Produtos para fazer crescer rapidamente tudo e mais alguma coisa com qualidade muito baixa. Eu mesma já comprei algumas coisas com muito boa aparência e péssimo sabor. É claro que isto pode acontecer, e acontece, em qualquer lado, mas penso que a comunidade chinesa ainda não tem a preparação suficiente para perceber todos os males e problemas que podem advir dos excessos de químicos e afins.

A Barbie também tem sido notícia por estas bandas, não porque tem mais um carro ou mais um Ken , mas porque muitos dos brinquedos associados à Barbie , sei lá, casas, parques e sei lá mais o quê, que esta indústria tem, estão a ser pintados com tintas carregadinhas de metano, acho que é este o produto que anda a causar sururu na esfera internacional. Produtor: China pois claro.

A China ainda tem muito para aprender sobre as regras internacionais, e agora que faz parte da OMC e que exporta e importa de muitos outros lugares do mundo, os observadores internacionais além de estarem muito mais atentos também estão mais exigentes de acordo com os parâmetros estabelecidos, numa época em que cada vez mais se fala do ambiente e da protecção do mesmo, e da redução das emissões e dos esforços que a China aparentemente faz em prol de minorar todos os problemas que tem vindo a causar à Mãe Natureza. Enfim, cá vou ficando mais uns tempos para ver e escrever sobre estas coisas...

sinto-me: Talking, talking...

disse anliang às 09:58
link do post | Digam o que quiserem | favorito

Cabaré Russo e copos no Kay
Assim foi a noite ontem.

O restaurante que a Claudy escolheu para reunir os friends companheiros de aventura e ainda os seus colegas chineses foi o "Elefante", restaurante /Cabaré russo na parte russa de Pequim, que faz lembrar uma cidade qualquer perdida no meio dessa grande potência que foi a URSS e onde se pode ter noção dos tempos áureos de influência e domínio da União Soviética neste país. A Embaixada da Rússia, disseram-me tinha cerca de 2 mil pessoas nos anos 80 com todo o tipo de infra-estruturas. Agora, aquela zona da cidade de Pequim, é igual a tantas outras, com um ar sujo, onde podemos encontrar chineses a falar russo, onde a comunidade vive e revive tempos de um imperialismo que já terminou há algum tempo. Os anúncios e letreiros que podemos ver pelas ruas têm duas línguas: Mandarim e Russo. De repente parece que estamos num filme que é tudo menos chinês.

O Elefante é um lugar agradável. Cor dominante o vermelho escuro. Tem um ar de cabaré, sobretudo por causa do espectáculo de variedades que ocorre penso que diariamente, cerca das 21 horas. As bailarinas, são tudo menos russas, e o espectáculo também não é muito para aí virado porque dançam desde salsa e plumas qual escola de samba brasileira até saias reduzidas com tops de lantejoulas, Mas enfim, é algo diferente do que estamos habituados a ver por estas bandas. A sala é mantida na penumbra, com velas vermelhas acesas nas mesas, parece mesmo um cabaré daqueles que vemos nos filmes, com candeeiros pequenos de abajur de veludo, quadros pendurados por todos os lados, Há um quê no ar com um toque de "máfia", lol .

A lista de pratos é enorme, aliás como é típico de todas as listas que existem nos restaurantes a que já fui, sejam eles chineses ou de outra nacionalidade qualquer, pelo que, escolher foi um pouco complicado. Não escolhi a tradicional "Galinha Kiev" e optei por uma "Carne de Porco à Elefante" que pela imagem me pareceu bastante apetitosa . Boa escolha, estava "very delicious"! "Ir ao Russo" em Portugal é caríssimo, em Pequim é baratíssimo, como ir à maioria dos restaurantes (acho que desta parte vou ter imensas saudades de estar na China) onde por tuta e meia se come um prato fabuloso. Entre conversas e risos decorreu o jantar, seguido dos tradicionais "Parabéns a Você" em Putaoyú e Hanyú (Português e Chinês). A noite terminou no Kay bar em Sanlitun, que estava bastante animado apesar de ser 5ª feira.

Morta de sono regressei a casa

sinto-me: De Fiesta


Quinta-feira, 6 de Setembro de 2007
Despedidas e Aniversários
Esta semana teve, desde há algum tempo duas festas programadas: uma de despedidas outra de celebração. De despedida porque a nossa amiga italiana Liliana parte hoje para Itália depois de um período de 6 meses na terra do Mao . De celebração porque a Claudy faz hoje anos.

Ontem fomos até casa da Lili para nos despedirmos dela, e hoje vamos até ao restaurante russo (outro que não o do fim de semana) para celebrar mais um aniversário, desta vez o da Cláudia. Está marcado para cedo (coisa rara) porque ao que parece o restaurante tem uma surpresa adicional. Depois conto o que é e como é....

O bolo será entregue nos restaurante e ficou à responsabilidade dos colegas de trabalho chineses, como presente. Na China é comum e até de certa forma tradicional amigos e colegas oferecerem o bolo de aniversário como presente, por isso, o bolinho tem que ser grande porque ao que parece os convivas rondarão as 20 pessoas.

Boa viagem Liliana, vemo-nos em breve!!!

Feliz Aniversário Cláudia , vemo-nos mais logo!!!!!

sinto-me: Ok!


Quarta-feira, 5 de Setembro de 2007
Emigrantês
Esta é uma nova língua. Achei que devia falar sobre ela. Antes de "emigrar" achava que as pessoas quando misturavam conversas em várias línguas o faziam porque pronto, queriam mostrar alguma coisa...pois eis que entretanto cheguei à conclusão que apenas se demonstra uma grande confusão nas cabeças. Sofro desse mal!!! Começo a falar em Português para a Madame Zhnag que só percebe inglês e chinês, depois faço um update , falo em inglês e termino com o duí palavra em chinês para dizer que sim, ou certo. Portanto isto anda a modos que complicado. Um dia qualquer uns alemães perguntaram-me qualquer coisa, falei em inglês, meti umas palavras em alemão pelo meio (do pouco que ainda me lembro) e acabei em chinês, com eles todos a olharem para mim, como quem diz: "O que é que tás pr'aí a dizer?"

Noutra ocasião estava a falar em espanhol ao telemóvel, tive que cambiar para inglês porque precisei de falar com a Madame Zhang, voltei ao telemóvel a falar inglês e misturei umas palavras de chinês lá pelo meio. De doidos!!!

É isso, e de repente começar a falar em português para a Madame Zhang com a maior das naturalidades, ou tão simplesmente começar a falar inglês com a minha chefe, que é portuguesa, ou ainda, e esta foi a proeza do dia, atender um telefone que é interno, note-se interno, portanto toda e qualquer chamada de lá vem da Embaixada e é de uma pessoa que eu conheço, e quase de certeza portuguesa, atendo em inglês, a pessoa fala inglês porque pensa que está a falar com a Madame Zhang, bloqueio e passo o telefone sem perceber nada. Lindo não é? Isto hoje foi mesmo bom!! Uma vergonha passei eu, agora quando encontrar o Sr. Eduardo lá vou ter que pedir desculpa pela barracada que foi aquele telefonema.

Também é deveras interessante quando preciso de saber uma determinada palavra em inglês para saber o significado de uma qualquer palavra em chinês e tenho que pedir que me expliquem o significado da palavra em inglês para depois sim, perceber a palavra em chinês. Que posso eu concluir, que tou doida e que o meu Tico e o meu Teco andam numa confusão sem saberem afinal que língua devem falar. Acho que falo actualmente emigrantês, um mix de todas as línguas que conheço e mais alguma coisa que possa inventar.

Ah, é verdade, ainda tento entender as minhas amigas italianas, no meio desta confusão toda, falo para elas em português na esperança que me percebam, ou ainda lanço umas palavras em espanhol para a minha colega coreana que percebe um bocado da língua de nuestros hermanos, e hoje tive que testar o grau de português de uma chinesa com sotaque brasileiro, falando com ela ao telefone...

Quando voltar, se eu começar a falar emigrantês não se admirem...

sinto-me: Estarei doida?
música: RFM pela net


Segunda-feira, 3 de Setembro de 2007
Weekend Updates
Bem, mais um fim de semana, este foi bem calminho sem grandes tropelias e devaneios. Sábado depois de um passeio de bicicleta até ao Chaoyang Park que percorri a pé e bikes proibidas) que fica perto da nossa casa mas que só tinha visitado no Ano Novo Chinês, coberto de gelo e com um frio de rachar.
É giro, tem muitos lagos e muita relva, flores e árvores com a designação num pseudo-latim, por isso, mais umas espécie de latinês (latim+chinês) que outra coisa. Também existem as diversões de parques como carrosséis e outros que tais, para crianças.

Almoço no Boccatta e de regresso a casa e sem internet porque aquilo flipou , pensávamos nós que por falta de pagamento, mas afinal não, já tínhamos pago, decidi que era uma boa ocasião para começar a ver " O Último Imperador". Bem sei que o filme já é velhinho, mas agora que estou na China e que conheço os lugares achei que iria ser interessante recordar algumas coisas da Cidade Proibida, porque na realidade quando lá vamos é tudo tão impessoal que não parece ter sido habitado. Ver o filme humaniza mais aquele lugar e leva-nos por muitos pensamentos, embrenhamo-nos ainda mais, de facto, no que é a China, no seu percurso e em tudo o que representa. Claro que só vi uma parte, aquilo é enorme e teve que ser interrompido porque estava na hora de nos aprontarmos para o jantar.

O Jantar foi no restaurante russo, de nome: Traktir Pushkin e a papinha estava muito boa. O grupo que reuni foi de 14 pessoas: nós, os que estavam por cá, as visitas do fim de semana, a Son , minha colega coreana das aulas de chinês e a Valentina, italiana, também minha colega e que trouxe mais uns amigos italianos e o namorado chinês que é muito simpático! Foi um jantar animado. Depois o objectivo era ir ao The Beach , onde dizem haver areia, tal e qual uma praia, mas só se podia entrar com reserva de mesa e não tínhamos. Voltámos para a nossa Sanlitun Lu e bebericámos qualquer coisa no Kokomo . A volta a casa foi cedo.

Domingo foi dia de pasmaceira! Acabei de ver o filme e fiquei com vontade de saber muito mais da história da China. De bike fui até ao Le Petit Paris almoçar e consultar a internet, já que em casa continuámos em black out. Nada mais para inventar, pelo tardio da hora, Yashow , umas comprinhas de coisas que precisava mas com muito pouca paciência para regatear. Enfim, teve que ser!

E pronto, hoje já é segunda-feira, nova semana de trabalho, novo mês e a oportunidade de mudar a página do calendário. Tudo corre depressa. O tempo não passa devagar, e acho que no final tudo vai mesmo terminar de forma estranhamente rápida. Está quase na hora de acordar do sonho, ainda há dias uma colega que está algures na Europa me dizia isso. Mas eu também sou da opinião que a realidade tem muitas faces, e acho que este ano que tem vindo a decorrer também é realidade, não devemos encará-lo como um sonho qualquer, acho que foi o realizar de algumas coisas e que são também elas realidade porque a nossa vida é feita de vários momentos, e este, foi mais um deles. Muito bom, fantástico e obviamente diferente de tudo pelo qual muitos de nós já tinham passado, mas contribuiu de certeza para que todos crescêssemos e aprendêssemos muito, mais não seja porque estamos na China (falando por mim) e porque que hipóteses teria eu de vir para a China? Não é propriamente um dos países que normalmente consideremos para férias, porque fica longe, porque a viagem é cara...mas meus amigos vale tanto a pena, tanto!!!!

sinto-me: Descontraída

disse anliang às 05:44
link do post | Digam o que quiserem | favorito

Quem sou eu?
Roteiro de Viagem

Até Breve...

2008

The very last countdown

Cores

Macau e Hong Kong finally

Confissões

Papéis

Compras e mais compras

Home alone, almost China ...

Entendimentos a Oriente g...

Countdown...

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Área da Cusquice
Que horas são aqui?
E que horas são aí?
Os Cuscos
   
Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


blogs SAPO
subscrever feeds