no Extremo Oriente ...à descoberta de um novo mundo
Sexta-feira, 31 de Agosto de 2007
Coisas Oficiais
Há muitas coisas que podem ser consideradas como símbolos oficiais de uma cidade, de um clube, de uma equipa, de uma associação por várias razões. Em Beijing, descobri eu, há flores e árvores consideradas como oficiais da agora capital da China. É verdade, descobri esta informação muito por acaso, quando passeava nas páginas da internet à procura de locais para visitar, outros que eu ainda não tenha ido ver e que valham a pena a deslocação, que como se sabe pode ser morosa dada a dimensão desta cidade. Assim, o que é que eu descobri? Que as árvores oficiais são a "Scholar Tree" para a qual não consegui arranjar tradução e o Cipreste Oriental e ainda como flores oficiais a Rosa Chinesa e o Crisântemo.
 E agora perguntam vocês mas porquê estas flores? Porque as há em abundância nesta área..bem de facto, seria o mais lógico, mas não é. A escolha foi feita no ano de 1987 na 6ª sessão do Oitavo Congresso Municipal do Povo que se reuniu no "Great Hall of the People ", a Assembleia da República cá do sítio,

Já agora e que estamos a falar das ditas, porque não perceber o seu significado? Pois bem, o Cipreste simboliza a coragem e a força do povo chinês, a sua natureza simples e trabalhadora e resistência face à agressão. A  Platydadus Orientalis pode crescer até 20 metros de altura e há por aqui árvores dessas que já foram plantadas há mais de 1000 anos na Dinastia Liao.

A "Scholar Tree" é o símbolo de boa sorte, alegria e bem-estar. Datando da Dinastia Qin e Han a Sophora Japonica foi plantada extensivamente no Palácio Imperial da Dinastia Tang em Chang'an. Aparentemente eram árvores que se adaptaram ao clima de Pequim, com invernos frios e secos e verões quentes e secos de sol alcalino.

Agora sobre as flores: a Rosa Chinesa já foi enxertada muitas vezes mas ainda tem metade da original, conhecida como "Perpetual Spring, Monthly Red, Snow Challenger e Victorious ", cresce depressa, regenera-se facilmente além de ser graciosa e duradoura, de Maio a Outubro.

O Crisântemo tem muitos nomes e variedades.

Florescem naturalmente no Verão e caem no Outono podendo, no entanto, ser forçados a nascer em qualquer altura do ano.



Bem, na realidade, sobre o significado e o porquê da escolha das flores não encontrei explicação, posso porém dizer-vos que, até descobrir isto, sempre me perguntei porque razão estava Pequim cheio de rosas por todo o lado. Quanto às árvores, os meus inexistentes conhecimentos de botânica fizeram com que nunca percebesse que árvores são as que existem nesta cidade...bem agora já sei!

Ficam as imagens para saberem como são!

 


sinto-me: Florida Colorida

disse anliang às 04:38
link do post | Digam o que quiserem | favorito

Quinta-feira, 30 de Agosto de 2007
北京(Pequim)
As visitas dos últimos tempos já se foram todas embora, as que vieram de Potaoya ! A Maria João e o João regressaram hoje depois de uma viagem fabulosa pela China e que eu recomendo vivamente, percurso esse que incluiu o famoso Tibete, Lhasa que eu já nem sei bem se quero ou não ir visitar. Este ano já me parece impossível, porque as minhas férias não existem, que isto de ser estagiário tem muito que se lhe diga. Muitas obrigações e poucos direitos, e felizmente que não tenho muitas fotocópias para tirar (função de alto nível intelectual que como se sabe é sempre adjudicado aos estagiários em qualquer empresa).

O Jony boy também já foi há quase uma semana. Visitou pela segunda vez o país do meio, e ficou a conhecer mais umas coisas bonitas..o que vale é que das duas vezes que me veio visitar os dias foram sempre animados e com muita coisa para ver/fazer, até ao museu foi, ah pois, que Pequim não é só Cidade Proibida e Tiananmen. Houve oportunidade para conhecer um Hutong recuperando onde vivem dois amigos de Pequim, um espanhol e um português, numa festa de beneficiência que foi mais do que abençoada dado o temporal que se pôs lá para as 8 da noite e da carga de água que caiu...enfim. Também lhe mostrei aquele sítio onde todos os turistas devem ir, Wanfujing , onde há todo o tipo de bichinhos para comer, inclusive a cobrinha que provámos...não estava má, era meio borracha mas o óleo em que a cozinharam era péssimo.

Anteontem a Mary Jones fez anos e celebrámos numa festa que ela organizou no Bar Blue, que já estou farta de conhecer, mas que só nessa noite descobri ter um terraço...emfim..lá estavam todos os tugas e não tugas e uma data de gente que eu não conhecia mas que era tudo gente divertida. Bebi um Mojito e já não foi nada mau..e claro dei os parabéns à aniversariante.

Apesar dos regressos, e porque o 22 não é 22 sem ter os sofás ocupados, estamos à espera de visitas este fim de semana, primas de outras paragens que vêm ver a cidade que mais do que tratamos por tu e da qual cada dia conhecemos mais segredos, que depressa deixam de o ser. Acho que nem que vivesse cá 10 anos conseguiria conhecer todos os recantos, mas neste quase um ano que cá passarei, pelo menos uma boa parte já reconheço, é como quando fui para Lisboa há 10 anos, também não percebia nada daquilo e agora, até atalhos conheço!!!

Por causa dos Jogos Olímpicos, que a mim, me causam muito pouca sensação, devo dizer, a cidade tem estado em crescimento e mutações contínuas. Obras no metro, nas ruas, edifícios que crescem como cogumelos e a uma velocidade extraordinária, néones que brilham em todo o lado. No próximo ano será inaugurado um comboio que irá rapidamente até ao aeroporto, percurso que actualmente faço em 20/30 minutos de carro desde a minha casa, que fica na zona mais próxima da auto-estrada que por lá passa, e ainda novas linhas de metro que garantam uma cobertura de toda a cidade, vai dar até para ir ao Palácio de Verão que fica na ponta oposta à área onde vivemos.
Não vejo grandes melhoramentos ao nível do inglês, mas é óbvio que seria muito complicado explicar e ensinar 1.3 mil milhões de pessoas (ainda que isto incida mais nas grandes cidades, nomeadamente em Pequim, que tem a população de Portugal e meio, cerca de 16 milhões de pessoas) que agora devem aprender inglês e que o mandarim (com caracteres) tem que passar para segundo plano. Tarefa muito difícil. Mas também, se formos perguntar aos taxistas portugueses se sabem inglês, não creio que a resposta vá ser muito animadora.

Outra coisa são as alterações climatéricas. Há uns anos nunca nos passaria pela cabeça que alguém pudesse manipular o tempo, que diriam os homens das cavernas e civilizações posteriores que até preces faziam para que chovesse e os campos pudessem produzir alimentos, de uma civilização, a nossa, que é possível mandar químicos que supostamente são amigos do ambiente, para as nuvens, em zonas a norte da área que se pretende atingir para provocar ou chuva ou céu azul brilhante em que se vê o sol e tudo. A mão do homem já pode agora fazê-lo, aliás, o Homem chinês está neste momento a criar uma mega estação meteorológica para o efeito. Verdade seja dita, os dias estavam maravilhosos, céu azul brilhante como raras vezes vi nesta cidade.

sinto-me: Talvez entoxicada...


Quarta-feira, 29 de Agosto de 2007
Às cegas
E se fossemos cegos? Se não conseguissemos ver rigorosamente nada, como seriam as nossas refeições? Pois bem, no sábado passado tive uma dessas experiências e fomos a um restaurante no qual se come às escuras, mas às escuras mesmo, sem ponta de luz, numa sala para a qual somos conduzidos uns atrás dos outros em fila indiana e mãos no ombros para não nos perdermos. Pelo que perguntámos, na sala estavam 10 pessoas, todas chinesas e nós, que não paramos de rir e dizer parvoíces o jantar todo.

Ao inicio é esquisito estar sentado num lugar que não se vê, não se tem noção de nada, de espaço, de quem está na sala, de nada. Temos que andar a apalpar tudo à nossa volta para saber onde estão os pratos, os talheres, as bebidas, que para evitar coisas de maior vêm todas com palhinhas, não há copos. Os empregados, que nós não vemos, trazem uns óculos de visão nocturna, para poderem circular e trazer os pratos que previamente escolhemos antes de entrar na sala. Sabemos  sempre, pensamos nós, o que comemos. Quando nos trazem os pratos tocam-nos na mãos por forma a sabermos onde está o prato e depois meus amigos, é à sorte, espetar o garfo na carne e no resto da paparoca, a colher na sopa...descascar os lagostins e ainda comer a salada de fruta. Confesso que na parte da salada já estava a comer com as mãos... Todos de avental, para prevenir badalhoquices de maior, assim decorreu o jantar animado, em que não nos vimos durante hora e meia. Perdemos a noção não só de espaço mas também de tempo. As malas, telemóveis, relógios com luz ficam à porta...quer dizer, num cacifo!

Foi uma experiência interessante. Não me parece que vá repetir porque é esquisita mas acho que quem puder que devia lá ir...vou ver se descubro o nome do lugar, é que acho que não existe só aqui em Pequim...bem em Xangai sei que há, bem se calhar só há na China, por isso, quem lá quiser ir tem que me vir visitar...se vierem, eu posso lá ir outra vez!!!

Claro que não há fotografias...nem isqueiros se podiam levar quanto mais máquinas fotográficas, eheheheheh

sinto-me: às escuras


I'm Back
Olá meus amigos, estou de volta a estas lides bloguistas.
Depois de uma ausência plenamente justificada aqui ficam uns recuerdos fotográficos da minha fabulosa incursão, finalmente, por Shanghai, esse grande motor económico da China e que eu, diga-se de passagem  e que me desculpem os primos que lá moram, não fiquei muito fã. A humidade é demasiada e por mais edifícios grandes e bonitos que lá haja, nada se compara à minha Pequim!

Não vou estar com grandes contemplações e descrições que não estou com paciência, e como gosto da máxima de "uma imagem vale mais do que mil palavras" ficam as fotografias dos lugares que visitei ainda agora em fins de semana mais do que animados, de visita à amiga Lara na companhia do Jony boy que mais uma vez me veio visitar a terras pequinesas, faltando, neste momento , menos de 4 meses para eu voltar a Putaoya!

Há mais fotografias no sítio do costume para quem quiser cuscar mais um bocado, na pasta Agosto.

Suzhou






Shanghai



Hangzhou



Guilin - Descida de Rio -
Yangshuo








Yangshuo








Guilin










sinto-me:
música: RFM pela net


Quinta-feira, 16 de Agosto de 2007
A Zeros
A paciência para escrever tem andado a zeros...é verdade!
Há visitas lá em casa: a Maria João, o João e o João!
Uns fazem programas turísticos , outros descansam e vêm Pequim pela segunda vez.
Eu, por aqui estou, com trabalho, com calor e hoje especialmente com pouca paciência e muita preguiça. Deve ser da massagem de ontem! Pois, é verdade, fui à massagem. É preciso o João cá estar para eu ir...e ainda por cima aquilo demora horas....e uma pessoa fica assim , mole, mole!
No fim de semana, não fosse a noite animada de celebração dos anos do Gonçalo, juntamente com a saída até ao Salsa e Caribe que me fizeram despertar da moleza da tarde de Sábado que passei entre o Boccata e o Le Petit Paris, entre almoço e leituras, cujo percurso se fez de bicicleta, a  moleza era geral! 
Agora tenho a bicicleta lá em casa, parada, à espera de outro ímpeto de ginástica..mas até que é agradável, se correr uma brisa então, melhor ainda.

sinto-me: a dormir....


Sexta-feira, 10 de Agosto de 2007
China em África - Que significado pode ter?
Esta, é de todas as temáticas relacionadas com a China, a que mais estranha, ou pelo menos a que mais recente possa parecer. Ainda antes de pensar que viria para a China, saiu um mega artigo no Courrier Internacional sobre este assunto, que retratava especificamente o caso de Angola e do investimento que a China se encontrava a fazer neste território. Desde então, cada vez mais se ouve falar do tema sobretudo porque a China se tem virado para os países africanos, não só como emissor de valores elevados de investimento como também porque este designado por "súbito interesse" tem despertado a desconfiança por parte de alguns sectores da política internacional. A mim despertou-me o interesse na altura em que li o dito artigo, primeiro porque estava a estudar a China, por razões que se conhecem, e depois porque me parecia interessante, que um pais dito do terceiro mundo estivesse com avultados investimentos em outros que conheciam agora também, algum desenvolvimento económico. Poderá  tratar-se um jogo de Win-Win , em que os benefícios vão para ambos os lados?

Pois, bem, fui convidada a estar presente num fórum de discussão sobre este mesmo tema. Naturalmente que me despertou toda a curiosidade: ver abordado este assunto no país em questão, não poderia calhar melhor. Fui. Estava imensa gente, a grande maioria, cerca de 90% dos presentes ex-patriados que trabalham em Pequim nesta ou naquela empresa, Câmaras de Comércio entre outros. Além de uma oportunidade para networking , foi uma excelente oportunidade para ouvir os interessados defenderem as suas posições.

Foram apresentadas três visões deste interesse da China por África: a versão chinesa, africana e a dita europeia. A China alega que o interesse por África decorre do seu crescimento económico e da sua aposta em mercados emergentes. Defende-se das acusações de neocolonialismo respondendo que as suas intenções de ajuda a África e o seu interesse nada tem que ver com o que a Europa insinua. A posição de África é receptiva ao interesse chinês, que diz já ter alguma história, sobretudo pelas possibilidades que são colocadas ao dispor de países tais como a Somália.
Para a Europa, esta é uma relação nova, que não tem bases históricas e que é apenas sinónimo de interesse económico, não de ajudar, sobretudo porque a China não tem participado nas contribuições financeiras dadas a África. Na realidade isto pode significar um já antigo conflito entre Europa e Ásia, porque para a Europa, África sempre representou o continente que apenas serviu para colonizar e explorar ou ajudar, nunca para investir sem intenções terceiras....e a Ásia, estará supostamente a ocupar o seu lugar.

Para não cometer errados juízos de valor, para mim ainda é prematuro constituir alguma ideia sólida sobre esta relação, o que sei, é que na China cada vez mais pessoas aprendem línguas estrangeiras, nomeadamente o Português sobretudo por causa do interesse económico do país nos países de expressão portuguesa. O futuro destas relações não sei qual será, apenas podemos de facto concluir que, com o poderio económico que a China apresenta e com os níveis de crescimento e da também crescente necessidade de fazer face às vicissitudes de ter uma população tão numerosa, investimentos em países cujos recursos são abundantes representam uma aposta ganha à partida, e também  lucrativa. Se disso conseguem ou querem fazer uma política de acção Win-Win cá estaremos para ver, mas seria uma das hipóteses para a China consolidar a sua posição nas Relações Internacionais enquanto estado participativo e doador na ajuda a ter um mundo mais igual.

sinto-me: Numa de Intelectualóide
música: Celtic Wonam - Caledonia


Terça-feira, 7 de Agosto de 2007
O regresso anunciado
Meus amigos, hoje estabelece-se a data de regresso de Anliang a Putaoya, sem alterações de percurso nem outras surpresas. Para que se registe:

A 17 de Dezembro....

Até breve então!



sinto-me: Em contagem...
música: O som do ar Condicionado


Domingo, 5 de Agosto de 2007
São sonhos, que vêm, que vão...
Porque nem sempre se sentem os sons,
Porque as palavras nem sempre
Entram nos ouvidos que temos,
Porque a vontade de ir além,
Sem saber muito bem, onde além é,
Torna as vozes fortes e as acções intensas.
Os bastidores da vida mantêm-se!

As criações do destino são toscas,
As que observamos são fruto da cor,
Da tonalidade crescente da vanguarda,
Do que imaginamos ser amarelo,
Verde, laranja...
Nem com o vento que vem do mar,
Sonhamos no nosso mais íntimo pensamento,
Que amarelo não pode nunca mudar
E que se um dia o vermelho virmos
É porque escorre o sangue nas veias
De quem sentimos por momentos,
De quem é nosso alguns instantes de vida.

Oiço os passos
Lentos...depois mais rápidos.
A marcha é lenta, mas forte.
Com o peso da vontade que desbrava terreno,
Todas as cores do arco-íris acodem ao cinzento
Que por momentos nos suporta a alma.
Queria documentar isto com sons,
Com imagens que nunca vi
Que nunca ninguém viu,
Mas não sou capaz,
Porque os sonhos vêm e vão,
Sem imagens reais e sem marcas na areia,
Sem vozes ou sons que nos encham os ouvidos,
São sonhos, que vêm, que vão...

sinto-me: Um fantasminha
música: Enya...


Comunismo...

Acho que esta notícia, pelo seu tema, deveria constar do "portfólio" do meu blog, já que na sequência do post anterior, (Des)Pudores), se mostrava mais um pouco desta cultura. O que se segue, não me parece ser tanto uma questão de cultura, contudo, para que pr'aí para esses lados percebam um pouco mais do que  por aqui se passa, aqui fica.


Pregnant students can stay on

 

(Shanghai Daily)
Updated: 2007-08-05 09:49

Chinese universities and colleges are no longer allowed to kick out married students who get pregnant or give birth, according to a statement posted on the Website of the country's family planning regulator yesterday.

However, pregnant students are encouraged to suspend their studies to ensure they stay healthy, said the joint statement by China's National Population and Family Planning Commission, Ministry of Education and Ministry of Public Security.

And universities and colleges must strengthen education on the family planning policy and sexual knowledge, including contraception, the statement said.
Schools are asked to tell their students to focus more on their studies and be cautious about love affairs and marriage.


Early last year, a dismissed medical college student won a discrimination case against her school for expelling her because she gave birth while still taking courses.
Wang Hongjie won the suit and got her master's degree from Mudanjiang Medical College in northeast China's Heilongjiang Province.

Under Chinese law, women can marry at 20 and men at 22. But brides over 23 and grooms over 25 are commonly considered to be later marriages, which is officially encouraged.


Students were forbidden to marry until the law was changed in September 2005.

Yesterday's statement also requires colleges to hire people to track married students on campus and help them.
Student couples who give birth will be issued certificates after they registered their baby with colleges, and the information on the certificate will be recorded on the students' personnel files.

Local police stations are asked to register the newborn child by giving them a "hukou" - a certificate of residence.


sinto-me: Sem palavras
música: Bob Marley


Sábado, 4 de Agosto de 2007
Ofertas, Descontos e Promoções
Os chineses é o povo com mais apetência para os descontos e promoções que eu já conheci. Quase todos os lugares têm cartões de cliente, de desconto, promoções a toda a hora, cartões VIP, vales de desconto para si e para os seus amigos, para a família toda, cartões que acumulam carimbos e oferecem coisas grátis...senão vejamos: no café aqui ao lado de casa, depois de algumas vezes lá ter ido, ofereceram-me um cartão de desconto de 10%, ou 5 %, nem sei bem, no restaurante grego, onde por vezes almoço, há  cartão que é carimbado de cada vez que lá vou e que oferece a 5ª ou 6ª refeição e depois a 10ª ou 12ª não me lembro bem. Na manicure basta lá ir uma vez que também nos dão um cartão que acumula carimbos de cada vez que lá vamos para igualmente oferecer uma sessão grátis. No restaurante coreano, onde às vezes íamos jantar, davam-nos, no final de cada refeição, vales de desconto que se podiam deduzir nas refeições seguintes e no SPA, também me ofereceram vales de desconto para outras sessões. Estes vales normalmente têm uma data de validade, e são sempre mais do que um, que é para podermos dividir com as família, com os amigos e com quem mais nos lembramos.

Haver nas lojas de roupa promoções é normal e a história do "paga uma, leva 2" também é muito comum, podem ser t-shirts ou outra coisa qualquer. Nos supermercados funcionam as ofertas, como por exemplo 2 fracos de gel de banho por um preço mais baixo(a esta estamos habituados) mas ofertas nos iogurtes, nos produtos de limpeza, nos pacotes de bolachas, e em tudo quanto é produto é mais difícil, especialmente se isto acontecer Sempre!  Não sei se são as estratégias de marketing cá da zona, se é para despachar stock, o que eu sei é que há sempre ofertas, descontos e promoções em todos os estabelecimnetos comerciais.

sinto-me: A comprar paletes de coisas
música: Enya - Misteryum


Quem sou eu?
Roteiro de Viagem

Até Breve...

2008

The very last countdown

Cores

Macau e Hong Kong finally

Confissões

Papéis

Compras e mais compras

Home alone, almost China ...

Entendimentos a Oriente g...

Countdown...

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Área da Cusquice
Janeiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


blogs SAPO
subscrever feeds